sábado, 30 de agosto de 2014

CULTIVO DA CANNABIS

Guia de Cultivo Passo a Passo
Tradução realizada por: Duende-Verde , para a comunidade Horta da Couve

Introdução


Cannabis Sativa, esse é seu verdadeiro e cientifico nome, mas é mais conhecida por marihuana, marijuana, maria, erva, cânhamo (os níveis de THC do cânhamo são muito baixos), etc. é uma planta que cresce em estado selvagem em alguns lugares do mundo, podendo aclimatar-se a praticamente qualquer sítio. E uma das primeiras plantas conhecida, que o ser humano utilizou em seu próprio beneficio!


Adora o sol, quanto mais melhor, necessita um mínimo de 6 horas diárias para um ótimo rendimento, mas pode viver sem sol, em um sítio completo de sombra, mas diminuindo consideravelmente a produção, saindo uma planta pouco ramificada e que faz mais prolongado o ciclo de floração, também sem sol nos irá sair mais machos


A terra que melhor se adapta é aquela que tem melhor mistura quando estão em vasos e argilosas quando estão em terra, são da família das urtigas, bem realmente são da família do lúpulo, mas primas das urtigas, assim que se plantas em terra mãe crescerão muito bem nas terras onde saiam estas matas.


A rega faz-se com água em abundância, até que saia por debaixo dos vasos e intercalando os tempos entre eles o mais possível para que as raízes se oxigenem bem. Se estivessem em terra a rega será muito espaçosa, 1 vez por semana e incluso menos. Como muito já que pode chegar a ser una planta de até 5 metros de altura, pelo que se recomenda usar uma terra com algum abono de base, como húmus de minhoca, quando cultivamos em vazo com um fertilizante líquido misturado com a água de rega. Quando mais necessitam este aditivo líquido é na fase de floração.
Também pode ser cultivada no interior, não junto á televisão, em um quarto ou em armários de cultivo, com lâmpadas especiais que substituem o sol e extractores para regenerar o ar do lugar.

TIPOS DE PLANTAS:



A Cannabis Sativa divide-se em duas classes principais Cannabis Sativa Sativa e Cannabis Sativa Indica, e ainda existe uma terceira típica dos climas mais frios como Sibéria, chamada Cannabis Sativa Rudelaris.
As características principais das Sativas são que tem a folhagem mais fina, tem um crescimento alto sendo umas plantas pouco ramificadas, de cabeços finos e compridos, tempo de floração de 2 a 3 meses, segue crescendo durante esta época, odores cítricos e efeitos eufóricos. Nível de THC alto. Originária de climas tropicais, de Ásia, África o América do Sul.
As Indicas levam a contrária a das Sativas em quase tudo, a folhagem é larga, costuma ser una planta pequena-mediana e muito ramificada, cabeços grossos e curtos, tempo de floração é de 45 a 65 dias, não costuma crescer durante este período, odores doces e efeitos relaxantes ou narcóticos. Nível de THC média-alta. Originaria de climas temperados, Europa, Sudeste Asiático.
As Rudelaris, são plantas pequenas que aguentam muito bem as baixas temperaturas e que florescem por idade, não por fotoperíodo como as anteriores. São pouco produtivas e contem baixíssimos níveis de THC. Originaria de climas muito frios, Rússia.


SEXO:


A Cannabis é uma planta dioica, quer dizer, existem plantas macho e plantas fêmeas. O macho que não se costuma utilizar ”só em caso para criar sementes”, da umas flores pequenitas que se irão juntando em conjuntos, formados por sépalos e estambres, e que em redor de 1 mês desde que começam a sair, abrirão os seus sépalos e soltaram ao vento o amarelento pólen.


A fêmea, que é a que cuidaremos até ao final, puis é ela a que da o fruto dos nossos interesses, da os pistilos, cada um de eles formados pelo cálix, o lugar onde se criará a semente, e os estigmas dos pelitos em uma ponta, que normalmente são brancos mas que podem tomar outras tonalidades como lilás, laranja, azulados, etc. Estes pistilos formam-se em conjuntos, chamados coloquialmente cabeços. Os estigmas são os encarregados de apanhar o pólen do macho e introduzi-lo dentro do cálix, onde se formará a semente. A não ser que queiramos conseguir uma sembra de sementes e não de cabeços, beberíamos tirar os machos e deixar só as fêmeas, este tipo de cultivo é denominado cultivo "sinsemilla", já que ao retirar os machos as fêmeas não criaram sementes, só se concentraram em criar resina, que lês servirá como defensa para os cabeços resguardados do frio, do calor e das pragas que ficarão agarradas nela. Também produzirá mas pistilos o que fará que o cabeço engorde mais.


Se tivéssemos deixado um macho com a fantástica ideia de criar o nosso próprio cruze, veríamos que a planta fêmea uma vez polinizada se dedica a fabricar sementes e mão produz tanta resina nem tão vigorosos cabeços como as anteriores. Uma vez secado e extraídas as sementes, estes cabeços ficam em nada.
Há alguns casos em que as plantas em algum momento da floração, desarrolha flores do sexo contrário, este fenômeno é conhecido como hermafroditismo e pode ocorrer por varias razões: por genética, conseguindo-o herdando normalmente de una fêmea que se auto-polinizou; por Stress, mudanças de sitio, excesso o defeito de regas, pragas, etc., e também forçando-a ao final da floração para produzir algumas sementes. As plantas hermafroditas serão arrancadas como se fossem machos já que também podem polinizar a as fêmeas.


As bananitas, clamados assim por a similitude com a fruta do mesmo nome, são flores machos que saem nos cabeços de algumas plantas, sobretudo em plantas que pudessem sofrer algum maltrato, mas que normalmente não soltam pólen e o pouco que solta só produziria umas poucas sementes.

CULTIVO


A data ideal para plantar é na primavera, já que a planta crescerá durante esta estação e parte da seguinte e começará a florescer justo antes de chegar o Outono para ser apanhada antes do Inverno. Em climas temperados onde as temperaturas mínimas não costumam descer de 10ºC. Pode plantar-se em qualquer estação, mas não se verá realmente o seu crescimento fora de temporada. A planta crescerá durante os dias compridos e florescerá quando os dias começarem a diminuir as horas de luz. Quando plantamos no Inverno, que os dias são pequenos, a planta crescerá durante um mês ou dois e florescerá automaticamente quando esteja preparada.

Germinação



A germinação não é tão difícil como muita gente pensa, só há que ter unas sementes que não estejam más, e ter o meio de germinação no seu ponto de umidade, nem encharcado, nem seco, se seguires os seguintes conselhos não terás problemas na germinação.

Pegamos em um guardanapo absorvente de papel, e umedecemos e colocaremos nela as sementes com uma distância mínima entre elas de uns 2 cm., isto evitará que ao germinar as radículas se toquem umas com outras.


Dobramos o guardanapo sobre si mesmo de forma que as sementes fiquem recebendo a umidade por todos lados.
E para evitar que o guardanapo se seque mantemo-lo em um Tupperware fechado hermeticamente e o colocaremos em qualquer lugar da casa onde haja uma temperatura sem mudanças bruscas e que ronde os 21º centígrados.
Uma vez ao dia lhe deitaremos uma espreitadela para ver que tudo vai bem, e que a água não se condensa em excesso no tecto deixando o guardanapo seco, também para ver se as sementes já abriram, evidentemente.


48 Horas depois uma das sementes começa a abrir-se, mas a deixaremos um bocado mais. Há que ter em conta que há sementes que podem demorar até mais de 2 semanas em abrir, mas que pelo geral abrem-se na primeira semana, se fosse o caso que demorassem mais de 3 dias em abrir, para evitar que a água de que está impregnado o guardanapo se forme (fungos) e esse podre afete a raiz nascente, deveremos mudá-la por um guardanapo novo, já que a planta nascesse, poderia morrer por fungos radiculares o alternaria.
10 Horas depois da foto anterior a radícula já está fora.
Neste ponto já podemos muda-las para a terra, mas vamos a esperar umas horas mais para ver a sua evolução.


6 Horas mais e é agora quando vamos muda-las.
Pegamos suavemente, com muito cuidado de não danificar a radícula, a parte mas frágil.
Pegamos em um vaso pequeno, já que é bom criar a plântula as primeiras semanas em um sementeiro para que a raiz se faça forte, e o enchemos pouco mais da metade de um substrato, recomendamos light mix, grow mix de Plagron o light mis, all mix de BioBizz.


Abrimos um pequeno buraco no centro e colocamos a semente cm cuidado, com a radícula para baixo (há gente que a põem para cima, mas as sementes brotam antes se está para baixo).
Assim ficaria, apoiada no buraco, quase na superfície e com a raiz apontando para baixo.
Cobrimo-la levemente para que não dê luz a radícula, já que uma exposição prolongada a mataria.


E a continuação regaremos com muito cuidado de não afundar nem colocar a boiar a semente. Vamos fazer aqui uma demonstração, a plantinha 1 só será regada com água os primeiros dias, suficiente para que saia e cresça bem, já que o pouco alimento que necessita durante este tempo o tomará da terra; e a 2 vaie-se juntar um estimulante radicular, para um crescimento mais rápido da raiz e por toda a planta.
Não a colocaremos ao sol até que a planta não tenha saído da terra, mas sim a iremos colocar num lugar muito iluminado ou debaixo de um fluorescente, com 18 ou 24 horas de luz estará fora em 1 o 2 dias.


Ao dia seguinte, a que foi regada com estimulante radicular, já está quase fora da terra.
3 Horas depois da foto anterior a planta germinou e separou-se da casca da semente a qual se pode ver na foto à esquerda.
A 35 horas de a ter enterrado a planta está esplêndida. Desde que pusemos a semente no guardanapo até aqui passaram 4 dias.

COMO FAZER CULTIVO DE CANNABIS PASSO A PASSO "MACONHA"